Inscreva-se agora

Mercado de Tecnologia & Desigualdade de Gênero: Woman's Code

Ainda existe muita desigualdade de gênero no mercado de tecnologia. 72% dos alunos graduados nos cursos STEM nos EUA são homens. Woman's Code é uma iniciativa de duas estudantes que querem mudar isso.

Mercado de Tecnologia & Desigualdade de Gênero: Woman's Code
Compartilhar artigo

Desigualdade de Gênero no Mercado de Tecnologia


Desde a infância somos condicionadas aos estereótipos de gênero. As bonecas, a cozinha e as panelinhas sempre foram brinquedos de menina enquanto os meninos ficavam com as bolas, videogames e computadores. Essa divisão, que pra muitos é natural, molda desde cedo o interesse das meninas por tarefas relacionadas a arte e ao cuidado e as afasta da ciência e da tecnologia. Esse comportamento reflete já na hora de escolher um curso na faculdade: apenas 20% dos alunos dos cursos relacionados a computação são mulheres. 

Piadinhas, assédio, solidão. Essas são algumas das coisas que nós mulheres, temos que aguentar  quando estão inseridas no meio da tecnologia. O mercado de tecnologia ainda é dominado pelos homens mas hoje vemos cada vez mais mulheres dispostas a mudar esse cenário. 

Nos Estados Unidos, STEM é uma abordagem de aprendizagem e desenvolvimento que integra as áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Por meio do STEM, os alunos desenvolvem habilidades-chave, incluindo: resolução de problemas. criatividade. análise crítica. É um acrônimo para Sciences, Technology, Engineering and Mathematics. É um indicador de graduandos que serve para parametrizar projeção de desenvolvimento do país em relação ao número de formandos. Hoje, na América do Norte, a porcentagem de mulheres e homens formados em cursos STEM ainda é muito discrepante, de 28% de mulheres e 72% de homens de acordo com essa pesquisa.

Woman's Code

Nós da Woman’s code somos algumas dessas mulheres. A ideia do projeto nasceu de um sonho da Founder, Marcella: "Ter voz e ajudar o meu plural. Nós, quanto mulheres na tecnologia, somos plural." Logo, o sonho dela virou o sonho de mais pessoas e hoje somos três, as mulheres responsáveis por fazer isso acontecer. 

Quando a Marcella estava no seu primeiro emprego como desenvolvedora, seu chefe a colocava muito medo. Ela não podia usar o Google como pesquisa, que ele a chamava de "programadora CTRL C, CTRL V". Ele dizia: "você nunca será boa e nunca terá outro emprego porque ninguém te aceitaria sendo tão ruim assim". 

A Marcella me conheceu por volta de 2014 e desde então nos aproximamos pela paixão por tecnologia.  Formada em Sistemas de Informação. Eu, também acabei me envolvendo com as ideias do feminismo e a importância de nos conscientizarmos sobre a desigualdade de gênero durante a faculdade. A cada dia vimos que essas experiências ruins não eram casos isolados, e sim muito comuns entre as mulheres no dia-a-dia de faculdade e também no trabalho.

Felizmente, nós aprendemos com as dificuldades e colocamos como objetivo de vida reduzir ao máximo o número de mulheres que pensam que não pertencem a essa área. 

E assim a Woman's Code foi criada. Nosso intuito é apoiar mulheres para elas se sentirem incluídas no mercado e atrair meninas para os cursos de tecnologia para que, no futuro, o mercado seja diverso e livre de preconceitos.

Se você ainda está começando e quer aprender a programar do zero, dá uma olhadinha nesse conteúdo aqui. Ou então, se você já programa, mas ainda é iniciante, sugiro você ler este conteúdo, sobre o que NÃO fazer para ser uma boa programadora!

Sororidade entre Mulheres na Programação

O apoio vem das mais variadas formas. Começamos em 2020, pelo nosso Instagram. Buscamos levar conteúdo de valor pra quem está iniciando na área de tecnologia e hoje esse é o nosso maior público. 

Além disso, lançamos um programa de amadrinhamento. Queremos conectar mulheres que estão passando, tanto por dificuldades técnicas quanto sociais, à madrinhas que realmente entendem o que elas estão passando. Por várias vezes, nos vimos sem amigas que entendem o que é o mercado de tecnologia. 

Apesar da quarentena que estamos vivendo, o programa proporciona proximidade entre as mulheres onde todas se sentem abraçadas, gerando voz, força, conhecimento e consequentemente empregos e visibilidade. 

Ainda queremos expandir essa rede de apoio, torná-la presencial, participar de eventos e lançar cada vez mais formas de ajudar, nós, mulheres a ficar no lugar que é nosso e de onde nunca deveríamos ter saído. 

Le Wagon & Inclusão


A Le Wagon é a maior escola de tecnologia do mundo, no formato bootcamp, oferecendo cursos de Web Development e Data Science para estudantes do mundo todo, presentes em +39 cidades e todos continentes do mundo. Já passaram pelos cursos deles +99 nacionalidades diferentes e eles são o melhor bootcamp para aprender a programar de acordo com o site de reviews de bootcamps e cursos da SwitchUp e CourseReport.

Agora lançamos uma parceria oficial entre a Woman's Code e a Le Wagon Brasil como uma iniciativa de trazer mais mulheres para os cursos de programação deles, oferecendo um desconto de R$1000,00 exclusivo para mulheres que se cadastrarem através deste link aqui.

Se você ainda está em dúvida, e gostaria de bater um papo com alguém, pra saber se programação é pra você mesma, ou se o bootcamp é a melhor opção, você pode agendar para conversar com o Vítor, o Gerente de Admissões deles no Brasil, neste link.

Pra fechar, te convido a conhecer mais da história das mulheres do Le Wagon Brasil, que constroem também uma comunidade de +11.000 alunos ao redor do mundo, mudando de pouquinho em pouquinho, a enorme diferença do mundo masculino que predomina no Mercado de Tecnologia ❤️.

Deseja saber mais sobre o nosso curso de 9 semanas?
Continue lendo

Como aprender a programar: vantagens e desvantagens de cada caminho

Fazer faculdade, encarar um bootcamp ou partir pra aprender por conta própria de graça na internet? Neste artigo avaliamos os prós e contras de cada caminho.

Graduate stories

De estudante do ensino médio a Desenvolvedor no Texas

Conheça a história de Davis, estudante do ensino médio que decidiu que não queria esperar muito tempo para transformar sua paixão por tecnologia em profissão.

Finanças para freelancers: dicas para cuidar da sua renda

Além de oferecer serviços de qualidade, freelancers e autônomos precisam também se preocupar com uma boa gestão financeira para atingir sucesso nos negócios.

Você tem interesse em estudar no bootcamp de programação número #1 do mundo?

Estamos em 39 ao redor do mundo