Inscreva-se agora

O que é um framework? Pra que serve e por que você deveria saber?

O framework é uma estrutura de códigos genérica que tem o objetivo de prover uma nova função dentro do seu código. Quer saber mais? Nesse artigo te contamos todos os segredos sobre o que é e pra que serve um framework de programação!

O que é um framework? Pra que serve e por que você deveria saber?
Compartilhar artigo
O framework é um dos melhores recursos para o programador que deseja aumentar sua produtividade, pois por meio dele é possível adicionar trechos de códigos genéricos que complementam a estrutura construída pelo dev.

Existem diversos tipos de frameworks diferentes, cada um com determinado objetivo e aplicação.

Essa ferramenta é ideal para quem deseja construir seu próprio negócio, pois além de diminuir o tempo gasto desenvolvendo um código totalmente do zero, ainda possibilita que essa pessoa tenha mais segurança na utilização de templates já testados e mais clareza na hora de construir seu business plan. 

Ficou interessado em entender mais sobre o que é um framework e como ele funciona? Então siga a leitura que vamos te contar todos os detalhes.

O que é um framework?


Framework é um termo inglês que, em sua tradução direta, significa estrutura. De maneira geral, essa estrutura é feita para resolver um problema específico. 

Na programação, um framework é um conjunto de códigos genéricos capaz de unir trechos de um projeto de desenvolvimento. 

Ele funciona como uma peça de quebra cabeça capaz de se encaixar nos mais diversos lugares e conectar todos as linhas de código de uma maneira quase perfeita. 

Por mais que seu funcionamento e aplicação pareçam simples, o dev precisa entender bem o tipo de framework que ele está usando ou usará em seu projeto.

Se a escolha for errada, o resultado pode ser contrário ao esperado e gerar um série de problemas que vão desde a construção de um código sujo até o mal funcionamento do projeto final.

Um erro comum que alguns programadores em início de carreira é pensar que os frameworks funcionam da mesma maneira que um banco de dados. No entanto existem diferenças bem consideráveis entre esses dois elementos. 

Um banco de dados é pensado e criado para armazenar informações e registros de pessoas, lugares ou coisas. Geralmente esses registros se relacionam entre si. 

O framework, por usa vez, não possui a capacidade de armazenar nada, ele apenas provê uma funcionalidade que se adequa a diferentes tipos de aplicações. 

Como funciona um framework?


Existem várias bibliotecas de códigos prontos espalhados por todo mundo, qualquer pessoa pode construir e disponibilizar um framework interessante. 

Devido essa facilidade no compartilhamento, esse conjunto de códigos funcionam de maneira ampla entre as linhas de programação para garantir seu bom funcionamento

Muitos deles utilizam os princípios de orientação do objeto com herança, poliformismo e abstração. 

Para ficar um pouco mais claro, vamos imaginar a construção de um automóvel. Nele contém milhares de peças que trabalham muito bem juntas, porém, o carro não nasceu dessa forma. 

Ele é construído por meio da união de diversas partes que foram feitas pelos fornecedores da montadora. Por exemplo, o motor pode ter sido feito na Itália, enquanto a embreagem foi desenvolvida na Alemanha e a montagem acontece no Brasil. 

Nesse exemplo, você seria o montador e as peças mencionadas (motor, embreagem) seriam os frameworks.

Uma grande vantagem desses templates, é que eles são open source, ou seja, você pode fazer pequenas mudanças no seu formato original para que ele se adeque ao que é necessário. 

As funções originais de cada framework é conhecido como frozen spots ou hook points. Já os trechos que foram alterados pelo desenvolvedor é conhecido como hot spots

Os cuidados que você precisa ter ao usar um framework


Antes de utilizar esses trechos genéricos, que representam blocos de código pré-prontos, você precisa observar qual é o objetivo se sua utilização, a partir daí você terá a capacidade de analisar as opções disponíveis para escolher o mais adequado. 

Mas não é só isso! Você também deve pensar quais pessoas vão fazer a manutenção deste código e quantas serão. 

Isso é importante, pois a partir dessa reflexão você pensará em um código que seja simples e fácil para qualquer programador entender. 

Quando conhecemos a estrutura criada no processo de programação de um software fica muito mais fácil encontrar bugs e possíveis problemas gerados ao longo do tempo. 

Outro ponto importante também é nunca se esquecer de documentar a utilização do seu framework. Esse documento pode ser um simples relatório explicando as seguintes informações:

Esse documento, além de nortear os futuros devs que vão trabalhar naquele projeto, ainda funciona como uma forma de controle. 

Quais as vantagens e desvantagens de um framework?


Ao longo do texto já citamos algumas vantagens de se trabalhar com esses templates de códigos. 

Mas é interessante esclarecer os pontos positivos e negativos de se utilizar essa tecnologia para que você tenha uma percepção mais justa.

Vantagens dos frameworks


Uma das principais características dessa ferramenta é sua incrível capacidade de adaptação a diversos contextos. 

Isso permite que ele consiga resolver um grande número de problemas e assim o programador ganha mais tempo e agilidade no seu processo de programação

Além disso, grande parte dos frameworks são compartilhados em código aberto em meio a grandes comunidades de desenvolvedores, dessa forma, toda e qualquer pessoa que tenha o conhecimento das informações contidas nele poderá editá-lo. 

Assim, é possível encontrar frameworks com um grau de segurança bem elevado, já que é possível observar a estrutura do seu código fonte antes mesmo de inserir no seu projeto. 

Por fim, mas não menos importante é a legibilidade. Um bom programador sabe que a construção de um código limpo, além de deixar o programa com respostas mais rápidas, permite que outros programadores compreendam o que foi feito ali. 

Desvantagens dos frameworks


Nem tudo são flores! O sábio ditado popular pode ser utilizado em muitas situações onde existem pontos negativos e positivos a serem observados. 

Com o framework não seria diferente. Um dos problemas enfrentados nele é a dificuldade de sua configuração quando se escolhe um template com códigos complexos. 

A dependência também é um fator que precisa ser levado em consideração. Ao utilizar vários frameworks num mesmo código, você corre o risco de perder todo o trabalho.

Pois assim como o carro, que utilizamos para exemplificar essa funcionalidade, se um componente for danificado, todo o funcionamento do projeto final é comprometido. 

Ainda existem aqueles frameworks mágicos que resolvem um grande problema. Eles geralmente são mais extensos e complexos, é aí que existe a barreira. 

Junto desse emaranhado de códigos, muitos deles são desnecessários e acabam prejudicando o bom funcionamento do produto final que está sendo desenvolvido

5 modelos de frameworks mais utilizados entre os desenvolvedores


Agora que você entende o que é um framework, vamos te apresentar alguns modelos muito utilizados pelos programadores. 

A partir disso você poderá escolher o mais adequado ao seu projeto. Mas antes, você precisa entender bem sobre a sua linguagem de programação, pois nesse aprofundamento você terá a capacidade de tirar conclusões mais assertivas.  

A seguir, listamos os principais frameworks utilizados entre a comunidade de desenvolvedores e como eles podem ser aproveitados. 

Siga a leitura e aprenda cada um deles!

Ruby On Rails

Esse é o framework utilizado na linguagem de programação Ruby. Ele aparece entre os 15 frameworks mais utilizados entre os desenvolvedores na pesquisa Stack Overflow 2020.

Além de possuir uma grande comunidade ativa no mundo inteiro, o ruby on rails é um template considerado fácil de utilizar. 

Além disso, a linguagem de programação Ruby é muito conhecida e utilizada entre as startups por sua utilização simples, porém muito eficiente. 

Bootstrap

Esse é um dos projetos mais bem avaliados no Github e contribui no desenvolvimento de componentes ligados à interface do usuário, assim como ajuda bastante a vida de devs front end.

Ele se comporta bem em aplicações que envolvem HTML, CSS e Javascript fazendo que o site se torne responsivo e elegante. 

No site oficial do framework você encontra toda a documentação do código, assim como dicas essenciais de aplicação. 

Flutter

O Google, que também é dono do software Firebase (plataforma de desenvolvimento de aplicativos web e mobile), desenvolvimento o Flutter. 

Ele é ideal para quem quer desenvolver aplicações multi plataformas e é totalmente gratuito, mas para sua utilização é necessário o conhecimento da linguagem Dart

Ele ainda permite a colaboração de todo time em tempo real, pois permite que cada pessoa veja o que o outro está fazendo naquele exato momento. 

Para quem deseja ou necessita adicionar um movimento no seu projeto, o framework ainda conta com uma biblioteca de widgets e animações rápidas.

Zend Framework 

O Zend Framework é um dos mais estáveis atualmente. Ele possui uma estrutura bem completa para desenvolvimento web. 

Por ser muito utilizado em PHP, uma das linguagens de programação mais amadas do mundo segundo a Stack Overflow Survey 2020, o Zend é um dos frameworks mais utilizados entre os desenvolvedores. 

Sua documentação é rica em detalhes, pois como sua aplicação é feita com muita frequência, seus criadores e mantenedores se preocupam em manter o código seguro e atualizado.

Ionic

Se o seu objetivo é desenvolver um aplicativo mobile, talvez o Ionic seja uma boa opção. 

Ele é um SDK open source que utiliza o Apache Cordova, trazendo recursos simples para que os desenvolvedores possam deixar o resultado final com as aspectos mais profissionais.

Além disso, ele é extremamente amigável com o React, uma biblioteca JavaScript que permite criar interfaces de usuário em páginas web.

Gostou de conhecer mais sobre os frameworks? O nosso bootcamp de programação está com as vagas abertas. Escolha sua cidade e se inscreva!



Deseja saber mais sobre o nosso curso de 9 semanas?
Continue lendo
Graduate stories

De advogada desempregada a engenheira de software em um ano

A história contada na primeira pessoa da Patricia, ex-advogada que virou dev back-end na Loft, uma das poucas startups unicórnios do Brasil.

Learn to code

Data Product Design: em qual destas 15 categorias está seu produto?

Neste artigo descreverei em mais detalhes cada um dos 5 Tipos de Output possíveis das 3 Formas de Interação, que combinados definem como se deve tratar o design e desenvolvimento de seu Produto de Dados.

Como tornar a sua carreira antifrágil

Se mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas, qual é o futuro do trabalho que a crise está tornando uma realidade atual?

Go further illustration

Você tem interesse em estudar no bootcamp de programação número #1 do mundo?

Estamos em 40 ao redor do mundo