Inscreva-se agora

O que NÃO fazer para se tornar um bom programador?

Este é um pequeno guia sobre o que você não deve fazer ou se preocupar nessa jornada de aprendizado para se tornar um programador profissional!

O que NÃO fazer para se tornar um bom programador?
Compartilhar artigo
Sempre encontrei muitos artigos e guias do que fazer para se tornar um bom programador. Mas vejo uma quantidade muito menor de artigos sobre o que não fazer se você quer se tornar um bom programador. E em tempos de informação massiva, é sempre bom estar preparado para filtrar conteúdo.

Então aqui está um pequeno guia sobre o que você não deve fazer ou se preocupar nessa jornada de aprendizado para se tornar um programador profissional!

  Não gaste tempo demais escolhendo qual linguagem de programação você deve começar a aprender.

   Escolher qual linguagem começar a desenvolver é uma das primeiras dúvida de quem quer aprender a programar. É verdade que essa pergunta tem sua importância, mas nesse caso ( no início de sua jornada como programador), essa decisão não precisa tomar mais do que alguns minutos do seu tempo. Isso porque nesse estágio você vai se concentrar em duas coisas: 

1 - Entender como as coisas funcionam na computação, por exemplo como funciona um computador e como funciona a internet. Aprender comandos básicos do terminal e outras ferramentas que você utilizará ao desenvolver softwares. Aqui no bootcamp da Le Wagon nós temos um curso preparatório que nos dá essa introdução.

2 - Aprender lógica de programação que é em outras palavras, saber se expressar e resolver problemas usando uma linguagem de programação. E você pode aprender isso utilizando qualquer linguagem de programação.

Se você se sente meio perdido nessa fase inicial, aqui está um ótimo guia com dicas de como começar e por onde começar.

Não caia em tutorial hell (ou pelo menos aprenda a sair dele)
O processo de aprendizado de quase tudo, envolve uma base teórica e aplicação prática dessa base. E com programação, a prática precisa ser intensa para solidificar o conhecimento teórico. Acontece que quando escolhemos aprender usando tutoriais, ficamos automaticamente inclinados (e às vezes até somos incentivados) a repetir exatamente o que o instrutor está  fazendo, linha por linha e daí testamos o código e voilà! Funciona perfeitamente! “Já aprendi, próximo tópico…”

O problema é, que sempre que o cenário muda um pouco, você se sente travado e não consegue evoluir. Então você procura outro tutorial mais parecido com o que você quer construir agora. Esse é o ciclo que chamamos de Tutorial Hell e que faz com que estudantes fiquem dependentes de seguir um passo a passo e não criem a habilidade de identificar problemas, organizar e construir soluções para o mesmo. 

A solução para não cair ou mesmo sair desse loop maldito é simples, óbvia e frequentemente dita. Porém é quase sempre desconsiderada quando estamos começando, especialmente pela ansiedade de evoluir rápido para conseguir entrar no mercado. Você precisa praticar muuuuuuuuuuito!

Pra quem ta começando, os melhores cursos são aqueles que te incentivam e te desafiam a fazer você mesmo.  Mas você pode sim aprender muito com tutoriais e cursos pequenos que tem a estrutura de passo a passo. Aqui vão algumas dicas do que eu faço:

  1.   Assista/Leia sem fazer junto com o instrutor, prestando atenção nos conceitos que está sendo abordado. Faça anotações de pontos chaves e do que você achar importante ou difícil de lembrar.  Faça testes de pequenos trechos de código que você está aprendendo no tutorial para entender como funciona. E se o instrutor falar algum termo ou conceito que você não sabe o que é, ou mesmo indicar uma referência para entender melhor o conceito, pesquise! 
  2.   Depois de assistir é hora de você fazer! Escreva um passo a passo do que precisa fazer de acordo com o que você aprendeu. Depois mão na massa! Se ficar preso com um erro ou em como implementar algo, procure por uma solução no google ou stackoverflow. Só consulte o código do tutorial em último caso! Isso vai te ajudar a desenvolver uma importante habilidade de todo programador: Google It 😄
  3.  Uma última dica, e essa é a que realmente vai fazer toda  diferença, é refazer o projeto mas utilizando outro cenário. Por exemplo, se você aprendeu em um tutorial como fazer um To-do app em ruby, refaça o projeto mas de forma diferente, talvez um app de contatos ou uma lista de livros. Acrescente alguns campos a mais além de título e descrição. Coloque um contador...
A ideia é reaproveitar tudo que você aprendeu e tentar se aventurar um pouco mais. Mas detalhe, refaça do zero não apenas edite o projeto anterior! Isso vai ajudar você a solidificar o que está aprendendo.

Esse método de estudo é o que eu comecei a usar para finalmente sair do tutorial hell e começar a ver um real progresso. Pra quem ainda não sabe nada e quer aprender a desenvolver sistemas do zero, este é o melhor conteúdo que você vai achar na internet

  O porém, que faz muitos iniciantes não seguirem um ritmo de aprendizado parecido com essas dicas,  é que isso fará com que você gaste 3 ou 4 vezes mais tempo do que você gastaria apenas seguindo o instrutor. Mas é preciso entender que o que vai fazer você evoluir mais rápido não é consumir conteúdo o mais rápido que puder*, e sim reter conhecimento no menor tempo possível. Afinal de contas, conhecimento não retido é pura perda de tempo. 

*Disclaimer: A habilidade de assistir vídeos em 2x e saber ler com velocidade é muito útil se usado com sabedoria  😊.

  É bom entender que essas dicas são com base na minha experiência de aprendizado, em pesquisas sobre o tema e conversas com amigos. Já sofri muito com tutorial decorebas e ainda sofro de vez em quando mas, essas dicas me ajudam muito. No entanto, cada pessoa tem seu próprio processo e ritmo de aprendizado. O ponto que você tem que ter em mente é que praticar bastante e entender os conceitos por trás daquilo que você está fazendo são partes fundamentais para seu progresso como programador.

Tendo dito isso, vamos ao próximo tópico:

Cada programador no seu quadrado...


  Temos a tendência de nos comparar com outras pessoas para saber qual o nosso nível de habilidade sobre algo. Essa atitude também nos leva a colocar outros em pedestais tendo-os como referência absoluta e inquestionável sobre determinado assunto (ou sobre tudo) e, consequentemente, assumindo que somos inferiores a tais. 

Por favor… Não faça nada disso!

1- Ninguém é igual a ninguém!

  Por mais que isso seja óbvio, nós nos esquecemos disso quando nos comparamos com outros. Todos temos ritmos e facilidades diferentes. Então não se compare com outras pessoas e sim consigo mesmo! Compare o você do dia zero da sua jornada como desenvolvedor com o você de agora, mesmo que tenha passado apenas alguns dias ou semanas. Aposto que você vai se surpreender com as habilidades que já adquiriu.

2 - Ninguém tem toda a razão
Quando você coloca alguém num pedestal, você assume que ela sempre está certa e é melhor que você. Entenda que, por mais inteligente e habilidoso que alguém seja, a única coisa em que uma pessoa sempre está certa, é quando diz que nem sempre está certa.

  Não entenda errado, aprendemos muito com a experiência de outras pessoas e não tem problema nenhum em ter admiração pelo trabalho ou experiência de alguém. Mas colocar uma pessoa num patamar de soberania só vai fazer com que você fique estagnado sendo incapaz de enxergar seu potencial e, consequentemente, não conseguindo gerar valor no meio onde você está inserido.

  Além disso essa postura irá impedir que você tenha uma visão mais ampla da vida nossa área, o que possivelmente fará com que você fique preso a uma tecnologia ou ferramenta, defendendo-a com unhas e dentes, criticando outras opiniões e perdendo incríveis oportunidades. Sem contar que você pode acabar se tornando a pessoa mais chata da sala 😒
 
É sempre bom ter referências de profissionais com mais experiência que você, pra construir aprendizados juntos, como um andaime de professor e aluno, mas é sempre importante lembrar que algum dia ele começou do zero ou já esteve no seu estágio também!
Para entender melhor sobre esse assunto, recomendo esse vídeo do canal de programação para desenvolvedores iniciantes do Filipe Deschamps 😉

Cuidado com O Hype no Mercado de Tecnologia


Hype basicamente é o que está na moda no momento. Tendências, que, com a internet, vêm e vão tão rápido quanto aparecem...

Hype em tecnologia se refere a um ciclo de superestimação e super divulgação de alguma solução, conceito,  ferramenta e etc..
Faz parte do processo de crescimento de nossa área e é importante no surgimento de novas soluções para os problemas que lidamos. 

Mas ao mesmo tempo pode ser muito perigoso para os menos experientes e até mesmo pra quem já está a anos na profissão. 
Esse fenômeno gera toneladas de discussões sem sentido, artigos tendenciosos e obscurece conceitos e fundamentos valiosos. Se por um lado ele pode contribuir para o progresso tecnológico, pelo outro, pode ser o motivo da decadência de nossa postura profissional.

Se você está iniciando nessa carreira, sugiro deixar temas ''hypados'' de lado ou no máximo para suas horas vagas. E mesmo que você se empolgue com algo que está nesse ciclo, lembre-se de que tudo tem prós e contras e nesse estágio você precisa reconhecer que provavelmente não tem maturidade suficiente pra fazer essa análise. Então para o seu bem profissional e para manter a sua sanidade, não entre nessa onda ok? 😉
Por último e mais importante!

Não deixe de compartilhar o que está aprendendo com seus colegas de programação!


  Quando estamos começando a aprender algo novo, é muito comum acharmos que ainda temos pouco conhecimento para poder contribuir no aprendizado de outras pessoas. Mais comum ainda é, depois de adquirirmos certa experiência, descobrirmos que estávamos errados 😅. Estou falando por experiência própria e esse post está sendo escrito justamente para eu mudar isso. Você pode e deve compartilhar o que está aprendendo, não importa se você começou hoje! O que parece ser pouco conhecimento para você, pode ser exatamente o que outra pessoa estava procurando.

Além disso, sua experiência de vida em outros contextos dentro e fora da tecnologia podem ser muito úteis para outros.

  Por isso compartilhe conhecimento!
  
  Escrever um post para um blog ou rede social, fazer um video ensinando algo ou contando sobre seu processo de aprendizado e sobre seu progresso são excelentes maneiras de fazer isso. Mas não são as únicas! Comente nos posts que você lê e nos vídeos que você assiste, compartilhe eles nas suas redes sociais ou em grupos dizendo por que você gostou. 

  Fazer isso vai ajudar não apenas as outras pessoas mas você mesmo. Afinal, compartilhar conhecimento é uma habilidade tão bela como necessária se você quer ser um bom programador, um bom profissional e uma boa pessoa.

  Essas são minhas dicas por hoje. Mas há muito mais coisas que não devemos fazer ou se preocupar durante essa jornada de aprendizado. Que tal contribuir também deixando seu comentário? 😆
Deseja saber mais sobre o nosso curso de 9 semanas?
Continue lendo
Learn to code

O que é AJAX e por que é tão importante conhece-lo? Conheça a história do Gmail

O AJAX não é novo, mas revolucionou o funcionamento da web e é muito importante até hoje. Neste artigo entenda o por quê!

Learn to code

Qual é o salário médio para programadores Ruby on Rails?

O salário de um Ruby on Rails Developer varia, mas bate a casa dos US$ 71 k / ano, segundo pesquisa da Stack Overflow.

Learn to code

React: O que são Componentes e Props?

React é um framework de Javascript para Frontend, criado pelos engenheiros do Facebook e muito utilizado também pela Twitter. React ficou famoso por conseguir criar aplicações extremamente dinâmicas baseadas nos conceitos de componentes e props.

Você tem interesse em estudar no bootcamp de programação número #1 do mundo?

Estamos em 39 ao redor do mundo