Inscreva-se agora

Ruby on Rails: O que é e por que aprender esse framework de Ruby?

Na lista dos frameworks mais utilizados no desenvolvimento de software, o Ruby on Rails é uma ferramenta poderosa e bastante interessante para startups e negócios digitais. Conheça um pouco da organização e a estrutura deste framework, que possibilita a construção de aplicações baseadas na web com agilidade e produtividade.

Ruby on Rails: O que é e por que aprender esse framework de Ruby?
Compartilhar artigo
Na lista dos frameworks mais utilizados no desenvolvimento de software, o Ruby on Rails é uma ferramenta poderosa e bastante interessante para startups e negócios digitais. Conheça um pouco da organização e a estrutura deste framework, que possibilita a construção de aplicações baseadas na web com agilidade e produtividade.

Uma boa maneira de se resolver problemas em programação e em outras áreas é a decomposição desse problema em partes menores, o que facilita a sua compreensão e possibilita a solução por etapas menores e menos complexas. Inspirado nesse método, pretendo aqui decompor não um problema, mas uma ferramenta bastante útil no desenvolvimento de aplicações web, o framework Ruby on Rails, para um melhor entendimento de sua composição e funcionamento.

Ruby on Rails: O framework

Para começar, precisamos responder a pergunta: o que é o Rails? Ruby on Rails, ou apenas Rails, é um framework para o desenvolvimento de aplicações web utilizando a linguagem de programação Ruby, criado para tornar o desenvolvimento dessas aplicações mais fácil através de uma agradável experiência. Assim como a linguagem Ruby, o framework se preocupa com a experiência de quem desenvolve software.

O padrão de design MVC

As aplicações desenvolvidas em Rails tem como base o padrão de design MVC (Model-View-Controller) para sua organização. Nesse padrão, a lógica do programa é dividida em três grandes camadas de acordo com sua responsabilidade. A camada Model, o M do MVC, basicamente abriga a lógica de negócio da aplicação e a parte responsável pela interação com o banco de dados. A camada de Controllers é a responsável por receber as solicitações do usuário, buscar nos models as informações necessárias a essas solicitações e as devolve ao usuário através das Views, que são basicamente representações visuais dos models ou partes específicas destes. Entender o padrão MVC é fundamental para entender o Rails.

Os componentes do Rails

Para lidar com essa estrutura, o Rails faz uso de outros frameworks que, além de serem utilizados com o Ruby on Rails, podem ser usados em projetos Ruby de forma independente.

Active Records

Seguindo a lógica do padrão MVC, começaremos pelo framework principal que atua na camada de modelos. O Active Records é considerado um ORM(Object Relational Mapping), uma ferramenta que possibilita a integração de objetos Ruby com sistemas de banco de dados. Com o Active Records podemos representar modelos e seus dados, associações entre esses modelos, validações de dados e interações com bancos de dados utilizando a linguagem Ruby, sem nenhuma ou pouca necessidade de utilização de SQL(Structured Query Language), uma linguagem declarativa desenvolvida com o propósito de trabalhar com dados em um modelo relacional. 

Active View

Na camada de Views, temos o Active View, framework que trabalha com a geração das visualizações de dados. Ele é utilizado para a criação de templates utilizando ERB (Embedded Ruby), uma linguagem de propósito específico que permite a escrita de páginas HTML com código Ruby embutido. Além dos templates em ERB, o Action View cuida da renderização de visualizações nos formatos JSON e HTML, possibilita o uso de partials e helpers para evitar repetição e melhorar a legibilidade do código, e também trabalha com cache para melhorar a performance da renderização de páginas.

Action Controller

O Action Controller é o framework principal responsável pelo C do MVC. Ele trabalha na criação e manipulação dos Controllers, que atuam como intermediários entre as Views e os Models, buscando dados solicitados pelos usuários nesses Models e exibindo-os através das Views.

Esses são apenas os componentes mais básicos e populares do framework. Conforme consta em seu site oficial, o Ruby on Rails não é um framework minimalista, ele possui tudo o que se precisa para construir aplicações web fantásticas. Além dos citados anteriormente, o Rails traz por padrão frameworks e bibliotecas com propósitos específicos, que tornam mais fácil a construção de aplicações mais robustas  e escaláveis.
Temos até aqui uma visão geral e mais superficial de como o framework Ruby on Rails é estruturado e seu funcionamento na construção de aplicações web. O entendimento dessa macro estrutura possibilita uma melhor compreensão da organização das partes e facilita a divisão e direcionamento de temas para estudos sobre a ferramenta. Para um conhecimento mais aprofundado sobre o Rails e seus subsistemas, a documentação é uma boa fonte de informações, além do vasto conteúdo produzido pela comunidade.

O que o Rails entrega

O propósito dessa estrutura composta de seus subsistemas e interações é possibilitar o desenvolvimento de software baseado na web de uma forma ágil e preocupada com a felicidade de quem faz software. Não à toa, o Ruby on Rails é um framework bastante adotado na construção de produtos digitais por startups que desejam tirar ideias do papel e colocá-las no mercado sem perder muito tempo com o desenvolvimento desses produtos. Além de facilitar a vida de quem quer criar e testar produtos de uma forma ágil, o framework também suporta aplicações maduras e escaláveis, que já estão há algum tempo no mercado e têm a necessidade de atender um volume considerável de usuários. Como exemplo dessas aplicações, podemos citar o Github, Shopify, Airbnb e outras mais que você encontra no site do framework.

Como começar com o Ruby on Rails

Uma das características que tornam o Rails um framework bem conceituado e popular é a facilidade de aprendizado quando comparado com outras opções. Por ser baseado em Ruby, uma linguagem de programação orientada a objetos focada em simplicidade e produtividade, compreender a maneira Rails de construir aplicações é algo acessível para quem não tem familiaridade com programação, assim como para aqueles que já programam em outras linguagens.
Aprender a programar em Ruby e utilizar o framework Ruby on Rails pode ser o passo que falta para tirar suas ideias do papel e transformá-las em produtos fantásticos, de uma maneira suave, produtiva e sem gastar muito tempo. O bootcamp de desenvolvimento web do Le Wagon te ensina isso e mais, vale a pena conferir.

Deseja saber mais sobre o nosso curso de 9 semanas?
Go further illustration

Você tem interesse em estudar no bootcamp de programação número #1 do mundo?

Estamos em 43 ao redor do mundo

Laptop illustration