Inscreva-se agora

Vale a pena aprender Ruby on Rails?

As razões pelas quais escolhemos ensinar Ruby no Le Wagon, em vez de Python ou do framework JavaScript da moda.

Vale a pena aprender Ruby on Rails?
Compartilhar artigo

Este texto é uma pseudo-tradução deste outro texto, escrito por Sébastien Saunier, CTO e professor do Le Wagon, em Paris. Pseudo-tradução, porque adicionei minha perspectiva ao texto original, mas se preferir a palavra de um engenheiro e se inglês não for um problema pra você, pule para o texto original!

Antes, um disclaimer: este texto não é uma ode fundamentalista e bitolada ao Ruby. A gente entende que há outras boas escolhas e no fim a gente nem acha que a primeira linguagem é tão determinante assim. Mas achamos importante listar, de maneira pragmática, as razões por trás de nossa escolha.     

Ruby é fácil

Existem outras boas opções para se aprender a programar, como a dobradinha Django e Python por exemplo. Mas uma das principais razões pelas quais escolhemos ensinar Ruby no Le Wagon é o fato de ela ser fácil! A sintaxe é simplificada, concisa, flexível e muito próxima ao inglês falado o que faz com que intuitivamente a gente seja capaz de entender o que está acontecendo.

Nada disso é por acaso. Enquanto as linguagens de programação tendem a colocar as necessidades da máquina no centro de tudo, Ruby foi criada pensando prioritáriamente na produtividade do programador, seguindo conceitos de usabilidade (UX) e interface (UI). Matsumoto, o criador do Ruby, 
"Eu espero ver o Ruby ajudar cada programador do mundo a ser mais produtivo, a gostar de programar e a ser feliz. Este e o propósito principal da linguagem Ruby." – Yukihiro Matsumoto, criador do Ruby

Caixa de ferramentas simplificada

Configurar o computador pra programar em Ruby é super simples. No Le Wagon cada aluno configura sua própria máquina, seguindo o guia que publicamos lá no GitHub. Feito isso, a única coisa que você vai precisar é de um editor de textos, uma janela do terminal e um navegador.

Extraordinariamente flexível

Rails é um framework extremamente adaptado ao ambiente das startups, permitindo construir coisas rapidamente, pivotar, mudar de ideia de novo, iterar, escalar. Construir e desconstruir é parte do dia-a-dia de toda startup e a flexibilidade do Rails simplifica bastante a vida.

Onde quer que seja que você está se metendo, no geral você irá precisar de três coisas: um banco de dados, um Front-End (a parte visível de sua aplicação) e um Back-End (o que acontece do lado do servidor). Organizar e colocar esses três lados trabalhando juntos e de forma indolor é o que o Rails faz de melhor.

Minimalismo e colaboração

Rails se baseia no princípio da Convention over Configuration (convenção sobre configuração). Ou seja, a arquitetura do código é padronizada e obrigatória. Se você não seguir o padrão seu aplicativo simplesmente não funciona. Assim, todo desenvolvedor Rails se obriga a trabalhar de uma mesma forma. É muito fácil pra um programador entender o que o outro fez, o que facilita a colaboração e o aprendizado.

A comunidade de rubistas

Rails é uma Gema (ou gem), ou seja, um módulo open source desenvolvido e mantido por mais de 10 anos por milhares de desenvolvedores. Existem milhares de gems por aí. Muitas vezes você irá encontrar uma gem pronta pra resolver seu problema e, quando não houver, provavelmente você será capaz de usar um módulo existente para acelerar o seu trabalho e não precisar começar a buscar uma solução a partir do zero.

Historicamente a comunidade Ruby valoriza a abertura e o espírito de compartilhar. Um dev iniciante irá encontrar muitos recursos online e off-line para se aprimorar enquanto programador e conseguir dar vazão à sua criatividade de forma autônoma e independente.

É a liguagem oficial das startups...

Se por um lado linguagens como o Java e C# continuam predominantes no mundo corporativo, Ruby é reconhecidamente muito popular no mundo das startups tendo sido usada para construir sites que a gente usa e ama como Airbnb, Basecamp, GitHub, Couchsurfing, Dribbble, Kickstarter, Twitter e muitos outros.

...que é igualmente útil em outros contextos

Alan Turing já demonstrou que todas as linguagens são, conceitualmente, iguais. Em outras palavras, uma vez que você sabe como programar em uma linguagem você pode facilmente aprender todas as outras. Adquirir o mindset de programador é realmente a parte mais difícil da história toda, e é muito melhor passar por essa etapa usando uma linguagem fácil e intuitiva como o Ruby.

Então, se o trabalho requer que se aprenda uma nova linguagem, depois de relativamente pouco tempo você será capaz de traçar paralelos entre sua linguagem favorita e a linguagem que está tentando aprender.

concluindo...

Estes são os princípios sobre os quais se apoia o bootcamp intensivo de 9 semanas do Le Wagon. É impressionante ver o que nossos alunos são capazes de fazer depois de apenas algumas semanas, graças à praticidade do Ruby on Rails. Duvida? Veja por você mesmo.

Interessou? Temos turmas em BH, RJ e SP.
Deseja saber mais sobre o nosso curso de 9 semanas?
Baixe o programa do curso
Continue lendo

Le Wagon Brasil lança a opção ISA (Income Share Agreement)

O aluno ISA so começa a pagar quando (e se...) for contratado com salario minimo de R$ 3K e a parcela se adapta a sua renda real.

Learn to code

Aprendendo A Programar Em Casa Com Le Wagon

Nossos alunos contam um pouco de suas experiências participando do bootcamp Le Wagon de forma remota!

Como aprender a programar: vantagens e desvantagens de cada caminho

Fazer faculdade, encarar um bootcamp ou partir pra aprender por conta própria de graça na internet? Neste artigo avaliamos os prós e contras de cada caminho.

Você tem interesse em estudar no bootcamp de programação número #1 do mundo?

We are in 39 cities worldwide.